Some days they taste like lemonade

Música

Hoje, enquanto estava no ponto de ônibus e chovia muito, coloquei meu fone de ouvido e deixei no modo aleatório. Some days they taste like lemonade – De fato, alguns dias tem gosto de limonada, e nem sempre é tão doce assim. Some days can feel like razorblades – São os piores. Some days smell like spring, birds, they sing – Seria o meu sonho?

Essa música fez com que eu me lembrasse de quando tive a oportunidade de conhece-los. Há alguns anos mantenho uma lista de ‘coisas para fazer antes de morrer’ e um dos itens era fazer John O’Callaghan, vocalista da banda, rir. Simplesmente rir. No dia do meet&greet, levo uma camiseta com sua foto e com a frase “have you seen my giraffe?” estampadas. Paro na sua frente e fico ali, pasma, imóvel, sem conseguir dizer absolutamente nada. Meu namorado pega a camiseta e entrega à ele. Saio de lá aos prantos: “Ele riu, ele riu!”. Item cumprido. Aliás, extra cumprido – durante o show, John começou a cantar uma música e parou, deixando todos na expectativa. Mostrei o dedo do meio para ele e ele riu. Duas vezes.

De qualquer modo, The Maine é a banda que me acompanha nos tímpanos e no coração desde que eu tinha 11 anos de idade. Eu cresci e sinto que as músicas cresceram junto comigo. Hoje, oito anos depois de ouvi-los pela primeira vez, vim compartilhar com a internet tudo de bom que as canções desse grupo me ensinaram.

#1 – Growing up won’t bring us down

Como falei, eu cresci e amadureci junto com a banda. “Growing up” foi e continua sendo o meu grito de guerra nessa luta que é virar gente grande. Quando absolutamente ninguém conseguia entender a bad que vinha com a pressão de arranjar um emprego, fazer vestibular e se tornar alguém, essa música vinha e silenciava todo o barulho na minha cabeça.

Formatura – o que um jovem deve fazer agora? Ir embora! Nós temos muito para provar porque é hora de seguir em frente” […] “Mas não importa o que fizermos, crescer não vai nos abalar.

#2 – Listen to your heart

Essa música era a melhor amiga que me dizia: “Está tudo bem fazer as coisas por você mesma”. Às vezes nós esquecemos a importância de deixar o mundo de lado e ouvirmos à nós mesmos, aos nossos sentimentos e vontades. Esse, então, era (e é) meu lembrete diário.

Não escute o mundo, eles dizem que nós nunca vamos conseguir. Não escute seus amigos, eles nunca nos deixariam começar. E não ouça as vozes em sua mente, ouça seu coração.

#3 – We only breath for so long

Eu ainda tenho dificuldade em lidar com o fato de ser ~jovem~. É quase impossível às vezes deixar a ansiedade em casa e curtir a vida como deveria. Fazer o que eu tenho vontade de fazer, ir aos lugares que quero ir e provar coisas que quero provar. “We All Roll Along” me lembra o que é estar viva.

Nós temos uma chance de fazer isso dar certo. Nós estamos vivos e dirigimos para o centro disso, onde sabemos que ficaremos bem” […] “E no final, nós sabemos: só respiramos por algum tempo. Hoje à noite é a noite.

 

#4 – Keep on searching

“Saving grace”, para mim, é sobre amizade. A internet fez com que eu conhecesse pessoas maravilhosas e muito parecidas comigo. Era como o clube dos esquisitos, típicos de qualquer filme americano. Mesmos medos, inseguranças e bizarrices. Essa música é sobre ajudar e crescer junto com os outros (inclusive, ela está escrita na parede do meu quarto).

“Tudo o que nós temos é o que sobrou de hoje, corações tão puros em lugares tão quebrados. Nós somos amantes perdidos no espaço procurando a nossa salvação” […] “Eu ando na corda bamba. Você é meu caminho para casa.

#5 – Some days they taste like lemonade

E, finalmente, c’est la vie! Haverão dias bons, ruins e alguns mais ou menos. Nós simplesmente iremos passar por eles.

“Odeio dizer ‘eu te avisei’, mas eu precisava te dizer: Alguns dias tem gosto de limonada. Alguns dias parecem navalhas. Alguns dias cheiram a primavera.”

E sempre que alguém perguntar sobre meu gosto musical, é deles que falarei com um sorriso no rosto. Eu espero que essas canções possam te ajudar tanto quanto me ajudam.

Leticia Akemi
POR Leticia Akemi

São Paulo. 19 anos. Jornalismo. Louca por arte, tatuagens, ocultismo e sorvete de chiclete. Odeia manhãs. Fala sozinha com uma câmera e procura na internet um jeito de deixar esse mundo mais colorido.

  • Duda Nunes

    São as minhas músicas preferidas também. Socorro. Saving Grace é meu guia pra vida ♡