O que aprendi estando na merda

Comportamento

Tenho depressão desde 2014, e com situações que passei nos últimos meses, ela se agravou muito. Tive distúrbios alimentares, o hospital já sabia quem eu era pelas visitas recentes ao soro, não conseguia me concentrar nos estudos e nem no trabalho. Em um grande resumo, minha vida virou de cabeça para baixo. Porém, no meio do caos, aprendi lições importantes tanto para o tratamento, quanto para a vida.

#1 Não tenha medo de procurar ajuda

Admito que é difícil se abrir para os outros e assumir que você precisa de ajuda. A depressão é uma doença, e como qualquer outra, é necessário tratar. Seja com psicólogo, família, amigos, ou até em grupos de ajuda no Facebook: você não está sozinho. Converse sobre o que você está passando, procure profissionais que vão te indicar a melhor forma de se tratar. Ter algum tipo de ajuda facilita muito você a superar o que está acontecendo. No meu caso, conversei – e muito – sobre tudo que estava acontecendo comigo, com minha mãe, amigos, escrevi e busquei ajuda psicológica.

#2 É na merda que você percebe quem se importa de verdade

Hora de fazer aquela limpa nas amizades. O que mais vejo de desabafos de pessoas com depressão é a falta de consideração de amigos. Muitos não levam a sério, ou, em vez de te apoiar, te colocam para baixo.

Sou o tipo de pessoa que leva muito a sério amizades. Se não é para ser amigo de verdade, vou te chamar de colega, não de amigo. Amigo se importa, tenta ajudar, conversa, entende e respeita. Aquelas pessoas que não respeitam o seu espaço, te enchem o saco para sair de casa quando você não quer, chamam a sua depressão de “frescura”, fazem piadas degradantes que você obviamente não curte estão longe de serem amigos.

Mais vale ficar sozinha do que com pessoas que não te fazem bem ou não se importam com você. Se dê respeito, em qualquer relação: namorado, amigos, família… Não aceite nada que te machuque, não implore por amizades e se afaste do que está te colocando para baixo. Você não é obrigada a manter pessoas que te fazem mal na sua vida.

Quando estava doente me senti muito mal por ver que muitas pessoas que eu considerava amigos estavam nem aí para o que eu estava passando. Só queriam saber quando eu ia sair para ir no bar com eles, ou até “brincavam” que eu estava parecendo um zumbi pela minha aparência de doente. Achei que estava com solidão por estar doente, mas a verdade é que já estava com solidão muito antes. As pessoas à minha volta queriam minha presença quando eu estava bem, não queriam se importar quando eu precisava delas. Percebi que agora, com poucos amigos mas que ficaram do meu lado quando eu mais precisava, não tenho mais solidão. Tenho pessoas incríveis ao meu lado e que me agregam muito mais.

Grupos do Facebook de saúde mental também me ajudaram muito nesse processo, e pessoas que conheci na internet ou amizades à distância me ouviam até mais do que pessoas presentes fisicamente. Você não está sozinha só porque na sua cidade você não tem um ombro amigo, pois só aqui nesse blog você já tem um grupo de meninas que se importam contigo e estão presentes para te ouvir quando você precisar. Imagina na internet inteira!

Sabe aquele conselho que sua mãe vivia te falando; “você saberá quem são seus amigos nos seus piores momentos”? É verdade. É melhor ter uma pessoa ao seu lado que está te apoiando quando você realmente não está bem do que ter vários que vão te adorar apenas quando você está sorridente no bar. Amizade é isso, sabe? Te apoiar quando você precisa, ficar do seu lado, te ouvir e te querer bem.

A relação mais importante neste momento é consigo mesma. Você é suficiente. 

#3 Sua saúde mental em primeiro lugar

Não adianta você se forçar a fazer algo que não te faz bem, especialmente quando você está machucada psicologicamente. Me forcei à assistir aulas na faculdade e resultou em ataques de pânico em sala de aula. Precisei tirar um tempo para mim, focar em me tratar e ficar bem para conseguir dar a devida atenção à outras coisas da minha vida.

Infelizmente não é todo mundo que pode dar um tempo à faculdade ou ao trabalho para se dedicar 100% ao seu tratamento, mas você pode aplicar isso também em outras situações da sua vida, como relacionamentos tóxicos ou saídas com amigos forçadas. Não faça nada apenas para agradar os outros se não te deixará bem, o que importa é você ficar melhor e não algo que te puxará mais para baixo. Corte amizades tóxicas, fique em casa vendo Netflix com seu melhor amigo se tiver vontade, aprenda a dizer “não”. Você é a coisa mais importante da sua vida, e deve fazer apenas o que vai te fazer bem.

Priorize-se. Seja “egoísta”. Faça o que te faz feliz. Se está te fazendo bem, não é uma perda de tempo. É a situação daquela frase: se ame primeiro para poder amar outro. Você precisa focar nos seus sentimentos para poder focar em qualquer outra coisa.

Tente não pensar muito no que as pessoas acham de você. Está com vontade de chorar? chore. Quer faltar uma aula pois não está bem? falte. Quer ficar em casa o fim de semana vendo Netflix? fique.

#4 A depressão precisa ser tratada

Por um bom tempo deixei o meu tratamento de lado achando que não era tãããão necessário. Deixei tanto que um dia explodi. A depressão é uma doença como qualquer outra, e precisamos levar a sério tão quanto levamos quando temos um machucado feio em que precisamos ir ao médico.

Sei que é clichê falar isso, mas uma visita ao psicólogo ou ao psiquiatra é essencial. Quando tive o meu ápice de depressão, busquei logo um psicólogo porque não aguentava mais sentir a dor que sentia, e qualquer ajuda seria válida. Minha decisão de procurar ajuda foi a mais importante do meu processo de ficar bem, pois me deu um pontapé inicial.

Entrei na primeira consulta mal conseguindo falar, chorei por grande parte do tempo e acabei com a caixa de lencinhos da minha médica. Era uma menina desesperada, triste, com mais dores do que alegria no coração. Expliquei para elas meus sentimentos, ela me ouviu e me guiou à descobrir o meu amor-próprio e a exigir respeito.

O tempo que passei sendo tratada por ela foi o suficiente para eu perceber o meu valor. Fiz diversos exercícios diários que caminharam junto comigo ao amor-próprio, e aliviaram a dor que eu estava sentido. A minha psicóloga nunca conseguiria me curar da depressão, mas conseguiu ser um grande apoio e me erguer.

#5 Faça atividades que goste

Se focar em coisas que gosta é um aliado muito forte no tratamento da depressão. Uma atividade física, como dança, ajuda o corpo a produzir mais endorfina, o hormônio que aumenta o bem estar e diminui o estresse, atuando como um analgésico natural. Além de te distrair de outras coisas que estão acontecendo na sua vida, te causando um momento de prazer e dedicação total à você.

Pintura, meditação, yoga, escrita, andar de bicicleta, jardinagem e esportes são exemplos de atividades ótimas para agregar ao seu tratamento!

Além do tratamento, você pode usar essas atividades como rotina após o tratamento, tornando sua vida mais prazerosa ;)

#6 Alimente-se direitinho

Já sabemos como fazemos besteira quando estamos bêbadas, quando estamos deprimidas isso piora um bocadinho. Evite a bad nesse momento, não beba!

A vitamina D pode aliviar a depressão, assim como ter uma alimentação bem saudável. Também é importante manter o seu corpo o mais saudável possível nesse momento, já que a depressão mexe com seus sistema digestório. No meu caso, não conseguia me alimentar sem vomitar ou ter diarréia (intimidade é uma droga, né? desculpa!), fui ao hospital inúmeras vezes desmaiando para ficar no soro.  Essa falta de alimentação machucou muito meu estômago, e piorou todo o meu caso. Junto com a nutricionista, iniciei uma dieta com vitaminas e ajuda de remédios para aumentar meu apetite, recuperar meu estômago e todo o peso perdido.

Aprendi a seguir uma dieta mais saudável, e que o que comemos reflete diretamente na nossa saúde. Nosso corpo é um templo, e precisamos cuidar dele com todo o cuidado e amor que podemos.

#7 Aprenda a ser mais positiva consigo mesma

Preciso continuar falando comigo mesma mais positivamente. Vou praticar isso até virar um hábito e vou trabalhar nesse hábito até um dia isso se tornar natural.

#8 Somos forte para caramba

Depressão não é fraqueza. Não é vergonha, não é motivo de se sentir humilhada. Você sobreviveu tudo que você já passou na vida, e vai sobreviver à isso também. Somos fortes e vamos superar tudo que está acontecendo em nossas vidas. N-a-d-a é eterno, nenhuma dor, nenhuma situação ruim. A vida é feita de altos e baixos, às vezes uns baixos bem fundo de poço em que o que nos resta é nos erguer e levantar até subirmos o Monte Everest! Você ficará bem, assim como também fiquei. Te prometo que fica melhor <3

Sabine D'Alincourt
POR Sabine D'Alincourt

Futura publicitária de 22 anos. Seu melhor dia foi no show do Green Day e seu objeto preferido é o seu CD do Cobra Starship. Apaixonada por música, moda e fotografia, ainda sonha em morar em New York.